JOLIE BEAUTY LOUNGE


Não tem cara de salão, não tem barulho de secador, e o melhor, não tem cheiro de progressiva!  Fui conhecer o Jolie beauty lounge essa semana, e adorei. É um novo conceito de salão, onde se parece estar no quarto ou sala de estar de uma amiga. Os móveis são vintage repaginados, garimpados em brechó, da década de 50 e 60. Enquanto se faz as unhas, pode-se folhear livros de arte, decoração, culinária, revistas importadas, assim ganha-se um pouco mais de cultura enquanto fica bela. Se a vibe não for essa, é um ótimo lugar para combinar de encontrar as amigas e colocar o papo em dia.   



Os esmaltes ficam em destaque num display, onde se pode escolher a cor perfeita dentre as diversas opções do mundo todo. Vários hipoalergênicos, da Colorama, Argento, Mavala... O carro-chefe são as unhas, mas tem também depilação, maquiagem, penteados, massagem... a dona é a simpaticíssima Kika Cavalcanti, que por sinal, me recebeu num vestido vintage meio boho estampado lindíssimo, botas e cíclios postiços. Maquiagem impecável e penteado feitos no Jolie. Amei, despertou a drag dentro de mim, estou louca para colocar cílios também!

Rua Visconde de Pirajá, 611 lj. 17 Ipanema
(Esquina Henrique Dumont, perto do Bar 20)
Tel: 2540-6340

UNHAS FASHION SEMPRE!


Boa notícia para quem não abre mão de unhas fashion sempre e quer uma alternativa mais saudável. Não são naturais nem orgânicos, mas as empresas de esmalte têm lançado cada vez mais opções hipoalergênicas, reformulando seus produtos para remover o trio tóxico já proibido no mercado europeu: Dibutilflato (DBP), Formaldeído e Tolueno.
O formaldeído é achado em fortalecedores de unhas e usado como conservante. Mas é uma substância comprovadamente cancerígena e pode causa alergias. O dibutil ftalato (DBP) dá brilho e fluidez ao esmalte e ajuda a dissolver os outros ingredientes, mas foi asociado a distúrbios reprodutivos. Já os toluenos são solventes, que ajudam a suspensão da cor e dão o acabamento lisinho na unha, mas são possivelmente cancerígenos, e podem causar distúrbios reprodutivos e retardo de desenvolvimento em crianças. 
A Colorama não fez alarde sobre o assunto, mas todos os seus esmaltes já são livres de formaldeído, DBP e tolueno, assim como os da Argento. Há várias outras marcas com linhas hipoalergênicas no mercado. A da Risqué (sem formaldeído e toluol) tem fórmula enriquecida com cálcio, de durabilidade e secagem rápida. Tem uma boa gama de cores tradicionais, mas senti falta de cores mais fashion. A da Impala (sem formaldeído, toluol e parabeno) é a que tem mais opções de cores, apesar de ser mais cara. Em termos de composição, a melhor marca é a Eclat (sem formaldeído, DBP, tolueno e parabeno), mas nunca experimentei. No momento eu estou adorando as novas cores da marca Dermanail Colors (sem benzeno, formaldeído e tolueno).
Ah, e não esqueçam de um detalhe importantíssimo, a base também tem que ser hipoalergênica, não só o esmalte!

COMO LER RÓTULOS – MISSÃO POSSÍVEL


Bom, primeiro vem a decisão de procurar usar produtos mais saudáveis, menos agressivos à sua pele e ao meio ambiente. Mas por onde começar? A resposta é simples: leia os rótulos! Não espere que faça sentido no começo, será como aprender uma língua estrangeira... só com o tempo você começará a reconhecer algumas substâncias que se repetem em diversos cosméticos. Aos poucos tentaremos desvendar isto juntos aqui no blog. Abaixo um guia básico do que procurar nas embalagens, seguindo as regras do IBD (Instituto Biodinâmico) .

1) Veja o percentual de ingredientes orgânicos na fórmula : certificados orgânicos (95%), produtos com ingredientes orgânicos (mínimo de 70%), naturais (variam muito, de 5% a 70%) ou convencionais (geralmente não especificado).

2) Repare se a embalagem é feita de material reciclado e/ou reciclável, e se vem em caixas e folhetos que geram mais lixo. Opte por refis quando possível.

3) Identifique se o produto é cruelty-free, ou seja , não foi testado em animais.

4) Procure saber se o produto contém GMO ou OGM (Organismos Geneticamente Modificados), ou seja, feito com ingredientes cujo DNA foi alterado por técnicas de engenharia genética.

5) Outras considerações: se é biodegradável, ou não poluente das águas e do meio ambiente, se a empresa usa processos de produção sustentável, e se respeitam o comércio justo.

Na dúvida, ligue para o SAC do fabricante, ou pesquise online. Se a empresa tem preocupação com a sustentabilidade certamente haverá informações em seu site.

ORGÂNICO, NATURAL OU BIO – QUAL A DIFERENÇA?



Orgânico vem se transformando numa designação cada vez mais procurada, seja em alimentos, roupas, produtos de limpeza e de beleza – é saudável e politicamente correto ao mesmo tempo. É uma certificação para produtos, concedida por organizações nacionais ou internacionais. No Brasil é mais comum se encontrar produtos com os selos do IBD e Ecocert (nesse caso a procedência do produto é garantida, apesar de haver divergências em seus critérios e diretrizes).
Mas muitos de vocês podem se perguntar, o que é exatamente um cosmético natural, ou orgânico? E qual a diferença entre eles e os convencionais? Muito simples, a diferença é a porcentagem de ingredientes certificados orgânicos em sua fórmula. Outras boas características dos produtos orgânicos são a ausência de derivados do petróleo, substâncias tóxicas, produtos geneticamente modificados e não testados em animais. São produzidos de forma a agredir menos o meio ambiente em sua cadeia produtiva, e aliam valores de sustentabilidade e responsabilidade social. Segundo o IBD (Instituto Bio Dinamico), as designações para os produtos são:
  • 100% Orgânico;
  • Orgânico - no mínimo 95% de ingredientes orgânicos;
  • Produtos com ingredientes orgânicos - variam de 50% a 95% de ingredientes orgânicos;
  • Natural - pelo menos 5% de ingredientes orgânicos;
  • Biodinâmico – feito com ingredientes da agricultura biodinâmica (selo Demeter).
Leia sempre os rótulos, e atenção para os detalhes....Alguns produtos podem ser naturais em sua maior parte, mas isto não quer dizer que os fabricantes sigam os critérios de produção orgânica. Além disso um produto natural não exclui a possibilidade de haver ingredientes sintéticos e/ou tóxicos em sua composição.

NOVAS REGRAS DO FDA PARA FILTRO SOLAR

Segundo o órgão norte-americano FDA (Food and Drugs Administration), os padrões e testes de proteção solar atuais só se aplicam a uma parte do espectro solar, aos raios UVB, que são os que causam queimaduras. Segundo as novas regras publicadas esta semana, a partir de 2012, para serem considerados de amplo espectro de proteção, os produtos terão que proteger também dos raios UVA, que podem causar envelhecimento precoce e câncer de pele. As novas diretrizes, que demoraram 30 anos de burocracia para serem aprovadas, foram feitas para garantir a efetividade dos filtros solares e facilitar o seu uso.

Relembrando, o SPF (Fator de Proteção Solar) indica o tempo de exposição ao sol que a pele suporta comparado à pele sem proteção. Por exemplo, SPF 30 significa que a pessoa levaria 30 vezes mais tempo para se queimar. 

- Filtros com proteção maior do que 15 e que não sejam de amplo espectro, ou seja, que não  protejam razoavelmente tantos dos raios UVA como UVB, terão que conter um alerta na embalagem;

- Não se poderá mais dizer que um produto é a prova d’agua ou de suor, apenas que é resistente à água,  e mesmo assim, obrigado a indicar quanto tempo dura a proteção;

- O nível máximo de proteção permitido anunciar será SPF 50, a não ser que as empresas consigam provar que a proteção é superior a isto;

- O sistema de 4 estrelas para classificar a proteção UVA também não será mais permitido, por ser confuso. A proteção UVA será medida proporcionalmente à UVB, que já é designada pelo SPF;

Um parêntesis, as regras não se aplicam à filtros físicos feitos com apenas um ingrediente, como óxido de zinco ou dióxido de titânio. Em breve vocês verão uma matéria sobre a toxicidade dos filtros solares que andamos usando, aguardem!

SALADA QUÍMICA


Cosméticos… simplesmente ADORO! Assim como a maioria das mulheres. Mas todo mundo usa todos os dias, independemente de classe social, tipo físico, credo, nacionalidade e preferências. Há para todos os gostos e preços. O Brasil está no top entre os maiores consumidores do mundo de produtos de beleza e higiene pessoal. Nossa sociedade vive um verdadeiro culto à beleza. Uma busca incessante da fonte da juventude, e de certa forma, da imortalidade. 

Começando o dia com um simples banho: depois de usar sabonete, shampoo e condicionador, passamos desodorante, um hidratante, escovamos os dentes...só aí já usamos seis tipos diferentes de produto. Some a isso outros hidratantes para partes específicas do corpo, maquiagem, e temos uma verdadeira salada química!

Mas você já parou para pensar nos efeitos que podemos provocar na nossa saúde ao misturar diversos tipos de cosméticos?  A pele é o maior órgão do corpo, e as substâncias contidas nos cosméticos são absorvidas pela corrente sanguínea. Será que todas essas substâncias são seguras? Que efeitos elas podem ter no nosso organismo? Não seria interessante procurar saber um pouco mais sobre o que andamos usando? 

Por questões de saúde e sustentabilidade, eu tenho consumido alimentos orgânicos, sem agrotóxicos, sempre que o bolso e a disponibilidade permitem. Mas não páro por ai, procuro me informar e fazer melhores escolhas em todas as categorias de produtos que consumo diariamente, como produtos de limpeza  biodegradáveis por exemplo, ou saber de onde vem aquele produto importado, em que condições ambientais e humanas foi produzido. Mais recentemente, vem surgindo no mercado muitas opções de cosméticos mais naturais, com menos química e de muito boa qualidade - alguns feitos de matérias-primas orgânicas, óleos essenciais, com embalagens recicláveis, etc.

Já é tendência mundial, grandes nomes da indústria de cosméticos passaram a fabricar opcões de produtos mais naturais e sustentáveis. Então porque não experimentar? Não estou dizendo para jogar fora tudo o que já tem em casa, mas que tal começar trocando um dos itens que usamos todos os dias por um mais eco-friendly? Sua saúde e o meio ambiente agradecem!