COSMÉTICOS ECOLOGICAMENTE CORRETOS


Fonte: Estilo UOL

A onda verde tomou conta pra valer do mundo dos cosméticos. Não faltam apelos para apresentar ao consumidor produtos cuja formulação tem o máximo possível de ingredientes naturais, e mais ainda, vegetais, matéria-prima orgânica e frutos e sementes de árvores de cultivo sustentável, sem contar o aspecto sócio-econômico relacionado à reciclagem e cultivo de espécies regionais, que geram emprego.

No entanto ainda não existe no Brasil uma legislação sobre normas consensuais a respeito do que são os cosméticos ecológicos. Por enquanto os referenciais de certificação são determinados por propostas privadas das empresas certificadoras. “Esses referenciais geralmente são construídos por todos os setores envolvidos na indústria, como empresas do ramo, profissionais da área e o consumidor”, explica Luiz Mazzon, diretor da Ecocert Brasil, que tem matriz na França e é considerada a maior rede de empresas certificadoras de produtos orgânicos do planeta. “As certificações adotadas atualmente em produtos cosméticos no mundo não são contempladas na legislação de nenhum país. Os “fiscais” do uso correto destes selos certificadores são as entidades que congregam consumidores e os órgãos que regulam a propaganda, no Brasil um deles é o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária)”, destaca o farmacêutico Emiro Khury, diretor técnico da Sociedade Brasileira de Cosmetologia e consultor de empresas de cosméticos que certificam seus produtos.

Hoje não há um órgão fiscalizador global ou mundial, com premissas universais, que regule os critérios dos referenciais privados, mas parece que isso já não é algo tão distante. “No momento está acontecendo uma discussão mundial sobre as bases a serem respeitadas para a certificação de cosméticos orgânicos e naturais, mas não há prazo definido para as conclusões dessa discussão”, ressalta Luiz Mazzon. Em tempo: na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não existe regulamentação para cosméticos orgânicos ou naturais, assim como também não há regulamentação para as empresas que utilizam ingredientes orgânicos em seus produtos, mas a agência começa a discutir o tema com as áreas envolvidas. “Atualmente há um grupo de trabalho formado pelo Ministério da Agricultura, Anvisa, ABIHPEC e Associação Brasileira de Cosmetologia, empresas do ramo e certificadoras para criar a Instrução Normativa para Cosméticos Orgânicos, que vai ser a base para a regulamentação do setor no Brasil”, informa Luiz Mazzon.

Por Isabela Leal - Fonte: Estilo UOL. Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

9 comentários:

  1. Prefiro muito mais ver a lista de ingredientes, analisar no EWG do que confiar tanto nas certificações.

    ResponderExcluir
  2. O selo de certificação é sem dúvida um estímulo de confiança, pois subentende que o produto foi sujeito a avaliações e testes, rigorosos na maioria dos casos, e que, se passaram nesses critérios de exigência devem de facto ter qualidade. No entanto, é necessário ter conhecimento dos standards dos vários organismos de certificação, pois parte deles não são tão exigentes assim.
    Concordo em parte com o comentário anterior, além do selo de certificação, se tenho dúvidas pesquiso no EWG.

    ResponderExcluir
  3. Heglaé, sem dúvida ler os rótulos é fundamental para se conhecer a fundo a composição do produto, principalmente se o produto for natural e não orgânico. Mas os produtos orgânicos certificados passam por critérios rigorosíssimos de qualidade dos órgãos certificadores, onde são proibidas a maioria das substâncias potencialmente nocivas para as pessoas. Por isso pode consumí-los com tranquilidade.

    Equipe Beleza Orgânica

    ResponderExcluir
  4. Olá NaturaliiZ, obrigada pelo seu comentário! É claro que é importante se informar o máximo possível como consumidor, e é válido ressaltar que os órgãos certificadores variam os seus critérios. Mas de um modo geral, os produtos orgânicos certificados oferecem uma maior segurança de uso, matérias-primas provenientes de agricultura orgânica e comércio justo, ausência de substâncias tóxicas, e não são testados em animais. Claro que cada caso é um caso, por isso nós sempre recomendamos ler os rótulos sempre, inclusive para saber se houve certificação daquele produto especificamente e por que órgão - não apenas da marca. Há casos de marcas que produzem alguns produtos certificados, e outros não.

    ResponderExcluir
  5. Olá Renata, obrigada pela tua resposta. Gostaria de te parabenizar pois tens aqui muito boa informação. Já sigo o teu blog há um tempinho e de facto prestas informação de valor, sobretudo para quem tem dúvidas acerca da cosmética orgânica.
    Continua com o bom trabalho!

    Relativamente à certificação, curiosamente fiz e publiquei há pouco tempo uma entrevista à Soil Association (organismo de certificação do Reino Unido, um dos mais exigentes do mundo), para esclarecer algumas dúvidas no que respeita à harmonização dos standards de vários organismos certificadores, que resultará na certificação Cosmos, não sei se já ouviste falar.

    Embora não tenha ficado 100% esclarecida, a entrevista permitiu-me ficar um pouco mais descansada com esta mudança que se avizinha.

    Aproveito para perguntar quais as marcas da tua preferência, e já agora se conheces a marca Ikove e qual a tua opinião acerca. Esta marca surgiu recentemente numa loja da qual sou cliente, ainda não testei.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, a certificação dá certa segurança mas já vi cosméticos da marca Futura, por exemplo, que se diz natural, que tem certificação ecocert que tinha muitos, mas muitos componentes químicos que eu não esperava encontrar, como parabenos.
    Por isso que confiar apenas na certificação pode ser um tiro no pé.

    ResponderExcluir
  7. @ Naturaliiz, muito boa a sua matéria sobre os novos padrões de certificação unificados que entrarão em vigor em breve na Europa, assim como o seu blog, parabéns! Sobre a Ikove, foi uma das marcas pioneiras de cosméticos orgânicos no mercado brasileiro, e também exporta. É uma marca séria, de excelente qualidade, vale a pena testar. Sobre outras marcas, em breve daremos sugestões aqui no blog e na fan page do Facebook. Sugiro cadastrar o seu email para receber as novidades.

    @Heglaé, não temos informações sobre a marca que você citou, por isso não há como opinar. Se puder encaminhar a sua questão por email e o produto a que se refere no info@belezaorganica.com, o assunto será pesquisado e daremos um retorno assim que possível. Um palpite sobre o que pode ter acontecido, é que há casos em que o produto contém apenas uma pequena porcentagem de produtos certificados, mas isto não quer dizer que toda a fórmula seja orgânica certificada. De qualquer forma espera-se de uma marca engajada em produzir bons produtos que use o menos possível de químicas potencialmente nocivas.

    ResponderExcluir
  8. Obrigada Renata! Vou testar então, assim que possível. Eu acompanho o blog e a página do Facebook também, irei estar atenta às novidades. Obrigada e parabéns pelo bom trabalho.
    É muito importante haver pessoas que se interessem e prestem informação de qualidade, como tu.
    Quem sabe não fazemos ainda uma entrevista?

    ResponderExcluir
  9. :) Obrigada! Podemos fazer uma entrevista sim, quando quiseres!

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo seu comentário! Equipe Beleza Orgânica