COMO LER RÓTULOS II - MISSÃO POSSÍVEL



Não é fácil escolher produtos de higiene pessoal saudáveis! Ler os rótulos então... No mercado, existem mais de 10.000 produtos cosméticos e de higiene pessoal e 99% deles possui um ou mais ingredientes que nunca foram avaliados como sendo seguros para uso humano. Um consumidor consciente não cai no canto da sereia da indústria química. Ele sabe, por exemplo, que alguns termos são usados para confundir os mais desavisados: 

“Para Uso Profissional”: esta frase permite que as empresas retirem algumas substâncias químicas dos seus rótulos. 

“Hipoalergênico”: nenhum teste é necessário para a empresa anunciar que um produto é “hipoalergênico” ou “para peles sensíveis”. Não há nenhuma regulamentação que diga que a empresa deve provar sua alegação. Usualmente, quando a empresa diz “dermatologicamente testado”, significa que ela raspou uma pequena área da pele de um coelho, aplicou o produto e esperou para ver se ficou vermelho; se não ficou, pronto: pode colocar o frase no rótulo. 

“Aprovado pela Associação X”: cuidado, as associações cobram para que os produtos exibam seu selo de qualidade. E nem sempre os critérios são claros. Na dúvida, entre em contato com a associação que aprovou o produto e peça maiores informações sobre como eles chegaram à conclusão de que era seguro. 

“Natural” ou “Feito com Ingredientes Naturais”: para poder colocar esta frase em um produto, basta que um dos ingredientes (nem precisa ser o ativo) seja natural. Ele pode estar carregado de substâncias químicas perigosas, mas pode receber o nome natural se houver um único ingrediente natural.

Por Dr. Carlos Braghini, especialista em quiropraxia e autor do livro Ecologia Celular.

Um comentário:

  1. Dermatologicamente testado também pode ser citado por empresas que fazem testes in-vitro?

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo seu comentário! Equipe Beleza Orgânica