A QUÍMICA DOS COSMÉTICOS CONVENCIONAIS

Cada vez que você aplica em seu corpo um produto de beleza que não seja livre de petroderivados está introduzindo na corrente sanguínea, coisas com nomes estranhos. Uma leitura dos ingredientes revelará nomes impronunciáveis, como Avobenzona, Homosalato, Octisalato, Octocrileno, Oxibenzona, Octinoxate... E por que estão lá? Por que são baratos, acessíveis à indústria e fáceis de diluir. E também por culpa dos consumidores, que preferem produtos com cheirinho, com cor agradável, que espalhem facilmente. Sim, queridas, a indústria sempre vai na direção daquilo que querem os consumidores, mesmo que tenha de omitir que esses confortos são potencialmente perigosos.

Os Parabenos, por exemplo, são usados em quase todos os produtos de beleza como conservantes. Eles estão presentes, tanto nos industrializados quanto nos manipulados em farmácias e comprados em lojinhas de produtos “naturais”, (exceto quando indicado). São disruptores hormonais e estão ligados ao câncer. Os Óleos Minerais, Parafina e Petrolato são derivados de petróleo que recobrem a pele com uma fina camada semelhante ao plástico, o que fecha os poros e impede a eliminação de toxinas. Provocam o envelhecimento precoce da pele e, por conta disso, estão ligados ao câncer.

O Lauril Sulfato de Sódio (SLS) é encontrado em quase todos os produtos de beleza e higiene pessoal e é responsável por quebrar a camada de gordura que recobre a pele ressecando-a e provocando seu envelhecimento precoce. Ele é usado para fazer com que o produto seja rapidamente absorvido e deixar a pele seca logo após a aplicação. Entretanto, por quebrar a barreira protetora de gordura, acaba permitindo a absorção de outras substâncias químicas. Pode induzir ao câncer pelo risco de se transformar em Nitrosamina, um potente carcinogênico. Por conta de sua toxicidade, a indústria procura substitui-lo por seu primo um pouco menos tóxico, o Lauril Éter (laureth) Sulfato de Sódio (SLES).

A Acrilamida é encontrada na maioria dos cremes faciais e está ligada aos tumores mamários. O Propilenoglicol é um solvente para fragrâncias oleosas que pode provocar irritação da pele e dermatite e está ligado a problemas de fígado e rins. O Fenol (Ácido Carbólico) pode provocar paralisia respiratória e levar à morte, mas mesmo assim está presente em muitas loções e cremes. O Dioxano está escondido em ingredientes como o Polietilenoglicol (PEG), ou polisorbato, alcoóis etoxilados - é facilmente absorvido pela pele e, por ser volátil, é absorvido pela mucosa nasal e respiração (é uma péssima ideia aplicar produtos contendo Dioxano em seu rosto). O Tolueno está presente em virtualmente todos os produtos com cheirinho (mesmo naquele delicioso perfume francês) escondido atrás do singelo nome de fragrância. A exposição crônica ao tolueno provoca anemia, diminui a contagem de hemácias, lesiona o fígado e pode afetar o desenvolvimento do feto ainda no útero.

Os Ftalatos estão presentes em mais de 75% das embalagens plásticas e ligados à má formação congênita no sistema reprodutor de meninos e diminuição da motilidade de espermatozoides em adultos. Não estão no produto em si, mas acabam vazando da parede das embalagens para o produto que você vai aplicar na pele. A Metilisotiazolinona (MIT) e o Triclosan são largamente utilizados em produtos com ação antibacteriana (xampus, sabão para lavar as mãos, pastas de dente), mas pode provocar efeitos danosos no sistema nervoso. Além disso, há indícios de que o uso destes produtos bactericidas provocam reações alérgicas (rinite, tosse crônica, irritação na garganta).

Entenda o risco potencial de aplicar estas substâncias em seu corpo, não só por que a pele é o nosso maior órgão, mas também é o mais fino: menos de 1 milímetro nos separa de uma infinidade de toxinas. Para piorar a situação, nossa pele é altamente permeável e permite que muitas substâncias atinjam diretamente a corrente sanguínea e alcancem lugares distantes em nosso corpo. A quantidade de toxinas a que algumas pessoas estão expostas cotidianamente é como brincar de roleta russa. Só para ter uma idéia, uma mulher que usa maquiagem todos os dias absorve mais de 2 quilos de aditivos químicos ao ano. É por tudo isso que se diz que só deveríamos aplicar em nosso corpo aquilo que podemos comer! Ou pelo menos minimizar nossos riscos usando cosméticos orgânicos e naturais.

Por Dr. Carlos Braghini - Médico, foi pesquisador em Fisiologia Humana e professor universitário, membro da Texas State Naturopathic Medical Association. Participa do Grupo de Estudos sobre Medicina Complementar e da Comissão Pró-Regulamentação da Quiropraxia no Brasil. É palestrante e escritor, e atua em seu consultório no Rio Grande do Sul. Site: ecologiacelular.com.br. Twitter: @cbraghini.

10 comentários:

  1. Parabens pelo esclarecimento! como sempre ajudando a todos nós .....admiravel Dr!
    gisele

    ResponderExcluir
  2. Excelente artigo. O link para os "cosméticos orgânicos e naturais" está quebrado.

    ResponderExcluir
  3. Ah, fala mais sobre os famosíssimos e caríssimos 'eau de parfum'!!!

    ResponderExcluir
  4. Dr. eu queria saber qual a importância da química organica na indústria de cosmético
    ass:julia

    ResponderExcluir
  5. @Cariny, os perfumes comerciais são realmente em sua maioria feitos com substâncias sintéticas e potencialmente tóxicas à saúde. É um dos itens mais difíceis de se desapegar, quando se escolhe usar cosméticos mais naturais e orgânicos na minha opinião. As alternativas são perfumes sólidos, feitos à base de cera de abelha e óleos essenciais, ou sinergias de óleos essenciais e álcool de cereais. Para isto recomendo buscar um profissional de aromaterapia, pois mesmo sendo naturais, os óleos essenciais precisam estar na concentração certa para não se intoxicar, provocar alergias ou queimar a pele.

    ResponderExcluir
  6. @Julia, por favor seja mais específica na sua pergunta. O que posso te dizer é que os ativos vegetais e orgânicos sempre estão presentes nos produtos de higiene pessoal e cosméticos, mas a questão é que os produtos convencionais - e não realmente naturais e orgânicos - contém uma infinidade de substâncias potencialmente tóxicas em sua fórmula, a diferença está na concentração. Um produto certificado orgânico contém de 70% a 98% de ativos vegetais orgânicos, comparado a produtos convencionais que contém às vezes contém apenas 5% de ativos vegetais, e o restante da fórmula é de substâncias sintéticas...

    ResponderExcluir
  7. e o que usamos nos cosmenticos entao? se tudo trará um problema. faço cosmenticos artesanalmente, que produtos vou usar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helio, aqui no blog, e o dr. Braghini temos a proposta de trazer conhecimento para que as pessoas se conscientizem dos riscos de certas sustâncias tóxicas. Há várias alternativas de marcas cosméticos orgânicos orgânicos à venda no Brasil, você pode dar uma olhada na loja Beleza Orgânica para conhecer alguns: http://belezaorganica.com/loja/

      Excluir
  8. Parabéns pela matéria. O consumidor precisa ter acesso a informação e entender que "certas" facilidades e comodidades nos custam caro, podem custar nossa vida. Há sim muitas alternativas saudáveis, precisamos apenas fazer pesquisa e optar por elas. O óleo de coco, extra-virgem, 100% óleo vegetal por exemplo pode substituir cremes e óleos corporais com eficiência e saúde.

    ResponderExcluir

Olá, obrigada pelo seu comentário! Equipe Beleza Orgânica